Curriculum Vitae


1947 - A 30 de agosto (virgem, ascendente libra) nasce José Ayrton Salvanini, gêmeo de Tania Mara (cantora), na cidade de Araçatuba-SP. Filho da cantora e atriz Olga Lourenço e do cantor e violonista Luwino Salvanini (faziam dueto). Irmão mais novo de Hareton (maestro, compositor, arranjador, pianista e cantor). Sua infância se passa, após sua família mudar de Araçatuba para Lins, de Lins para Bauru e finalmente para Campinas, em um velho casarão onde funcionava a escola de música de seus pais. Juntamente com seus irmãos, ajuda os pais, desde os seis anos de idade, ensinando solfejo aos alunos iniciantes. Nesse casarão se ensinava piano, acordeão e violão. Se apresenta em auditórios de rádio, fazendo dupla com sua irmã Tania.

1953 - Começa a fazer teatro no Colégio Culto à Ciência, em Campinas, no musical "Ontem, hoje e sempre".

1964 - Dirige, produz e interpreta o musical "Acusação", uma denúncia social em co-autoria com Carlos Aguiar e Chico Araújo, com músicas e arranjos de seu irmão Hareton. É homenageado com Medalha de Prata pelos artistas plásticos de Campinas por este trabalho.

1965 - Produz, escreve e dirige "Aquelas Pessoas Estranhas". Escreve, produz, dirige e interpreta o monólogo "O Vermelho".

1966 - Como funcionário concursado do Banco do Brasil, muda-se para São Paulo. Colabora como crítico teatral com o semanário "O Roteiro" de Campinas. Escreve e dirige "Apolo 27". Recebe o Troféu Comunicação por esse trabalho, melhor espetáculo do ano, prêmio dado pela imprensa campineira. Escreve, dirige e interpreta a peça "O Pacto", para dois atores. Ingressa no Curso de Direito da FMU.

1968 - Desiste do Curso de Direito.

1970 - Participa como ator e responsável pelo lançamento publicitário da ópera rock "Jesus Cristo Superstar".

1971 - É mandado embora do Banco do Brasil por justa causa (fato inevitável!).

1972 - Participa como cantor de MPB do programa Mixturação da TV Record e também como cantor pop do programa "Papo Pop" da mesma emissora. Casa-se com Maria Isabel Vaz dos Santos, formada em Direito pela São Francisco e em Letras pelo Colégio São Luiz, professora da rede pública municipal.

1973 - Letrista no disco de seu irmão "Hareton SP 73", considerado em Tóquio melhor disco estrangeiro do ano. Judas no musical "Godspell". Nasce sua filha Íris (bailarina e cantora).

1974 - Voltando de uma temporada de "Godspell" no Rio de Janeiro, torna-se responsável, juntamente com a Companhia de Teatro Sia Santa, pela programação cultural, com espetáculos do eixo São Paulo-Rio, dos teatros oficiais de Campinas. Nos quatro anos que passou nessa função, de um teatro (Castro Mendes), então em precário funcionamento, a cidade passou a contar com oito teatros.

1976 - Nasce seu filho Iuri (pianista).

1978 - Como todo bom trabalho particular que se destaca, a programação cultural "foi encampada" pela prefeitura de Campinas. Participa como letrista do segundo disco de seu irmão Hareton, gravado pela CBS, que a censura vetou. Produz, dirige e atua no musical "Cavalo Doido", com parte musical aos cuidados de seu irmão que também participa como pianista e cantor. Ao saber quais seriam os oito músicos do espetáculo, (Sion, Dom Bira, Gabriel Bahalis, John Flavin, Pestana, Celinho Bunny, mais equipe técnica e seis bailarinas) o maestro Benito Juarez, da Sinfônica de Campinas, exclamou: "Mas é a Seleção Brasileira! - Não deu para segurar a estrutura (se desse, o espetáculo pegaria). Financeiramente ficou a zero. Como já estava mesmo "falando sozinho", adapta e interpreta o "Sermão da Sexagésima", de Padre Vieira. Com esse monólogo começa uma nova fase, começa o seu repertório mambembe. Prêmio de melhor ator do ano dado pelo jornal "Correio Popular" de Campinas. Até o presente ano de 2002 o trabalho já foi encenado mais de mil vezes (reino do céu garantido). Uma dessas apresentações foi no Ginásio do Ibirapuera pra aproximadamente 9000 pessoas. Neste ano dá aulas de interpretação na Escola de Teatro da Fundação Clóvis Salgado - Palácio das Artes - em Belo Horizonte-MG.

1979 - Adapta e interpreta o monólogo "Meu tio, o Iauaretê" de Guimarães Rosa, prêmio de melhor ator pelo jornal "Correio Popular" de Campinas.

1981 - Escreve e interpreta, adaptando três discursos, hinos, fatos verídicos, o monólogo "Hitler". Prêmio melhor ator na Campanha de Popularização de Teatro de Campinas quatro anos depois, em 1984.

1983 - Depois de "Hitler", com a voz estourada de tanto gritar, a emoção abalada de tanto estimular a histeria, e ainda por cima usando bigodinho (louro pintado de preto), "limpa a cabeça" adaptando e interpretando "Apologia de Sócrates", de Platão. Dois atores. (Depois de tantos monólogos pode-se dizer, brincando, ser este um trabalho uma superprodução).

1984 - Funda o "Núcleo Pó de Guaraná", grupo mambembe especializado em espetáculos infantis. Associado a Beneh Mendes, produz e dirige o musical infantil "Castelo de Mulumi", de Jurandyr Pereira, com trilha sonora de seu irmão Hareton.

1986 - Produz, escreve e dirige para o Núcleo "Pó de Guaraná", com a parceria musical de seu irmão, o musical infantil "O Príncipe e o Sábio", baseado em um conto de Leon Tolstoi.

1987 - Dirige para a Cia de Teatro Sia Santa a comédia de Martins Pena "O Caixeiro da Taverna", prêmio melhor diretor do ano Campanha de Popularização do Teatro em Campinas. Para a mesma Sia Santa dirige, com parceria musical de seu irmão, o musical infantil "O Gato de Botas" de Charles Perrault. Adapta e interpreta o poeta português Fernando Pessoa. Do espetáculo constam poemas de Fernando Pessoa e seus heterônimos mais conhecidos: Alberto Caeiro, Ricardo Reis e Álvaro de Campos.

1988 - Dirige para a Cia de Teatro Sia Santa "A Farsa do Advogado Pathelin", farsa medieval, com o ator Carlos Augusto Strazzer protagonizando. Prêmio melhor direção pela Campanha de Popularização em Campinas. Apresenta, em dois meses de temporada, o seu repertório no Museu de Arte de São Paulo - MASP.

1989 - Estréia, para seu repertório pessoal, "Vinicius de Morais", tendo como parceiro de palco o jornalista, compositor, violonista e cantor Zeza do Amaral. Com mesinha, uísque, cigarros, poemas e canções, interpreta Vinicius. Escreve, dirige e produz para o Núcleo "Pó de Guaraná" o musical infantil "Xigui", sobre mitos e lendas indígenas. Roteiriza e dirige o repertório já formado do Coral da Fundação de Ensino Faculdade Eurípides Soares da Rocha, de Marília-SP, com direção musical da maestrina Vânia.

1990 - Soma ao seu repertório, seguindo a linha nacionalista iniciada com "Vinicius" e o infantil "Xigui", o musical "Velho Júlio", espetáculo sobre a linguagem da roça, do povo da terra, com poemas de Catulo da Paixão, catiras, emboladas, trava-línguas e mais a viola, os repentes e um vasto material de seu parceiro par este trabalho, Milton Edilberto. No mesmo ano, para o "Pó de Guaraná", produz, escreve, com direção de Jurandyr Pereira, o musical "Boi Fubá" sobre teatro e literatura de cordel.

1991 - Adapta para teatro textos de James Joyce, Walt Withman, Maiacovsky. Escreve o espetáculo "Os Argentinos" (Borges e Cortazar com músicas de Piazzola).

1992 - Baseado numa idéia de seu parceiro Zeza do Amaral, e juntamente com ele, roteiriza, produz, escreve e interpreta o musical "AI-5", sobre a época da repressão durante o governo militar no Brasil. Participa também deste espetáculo, como violão e vocal, Luiz Vasquez. Escreve, produz e dirige, para o Núcleo "Pó de Guaraná", com a parceria musical de seu irmão, o espetáculo infantil "Saci".

1993 - Estréia, para seu repertório, o espetáculo "22". Vitrine, com extrato da obra dos principais autores que participaram da Semana de Arte Moderna em 1922 (Mário de Andrade, Manuel Bandeira e Oswald de Andrade). A parte musical com prelúdios, canções e sonatas de Villa Lobos a cargo de outro parceiro, Axel Giudice, violonista clássico argentino.

1994 - Publica o livro "Poesia Mambembe".

1995 - Escreve, produz e dirige o musical infantil "Simão o Sapateiro" adaptação de Leon Tolstoi.

1997 e 1998 - Participa dos Seminários em Faxinal do Céu, projeto de Educação do Governo Jayme Lerner no Paraná. Deste projeto participaram Paulo Autran, Fernanda Montenegro...etc.

1999 - Opera a garganta: excesso de apresentações, em torno de trezentas ao ano.

2001 - Assina contrato com a AIA - Associação Internacional de Artistas, assumindo a programação do "Teatro da Praça" em frente à Praça Benedito Calixto, em Pinheiros. Com violão, percussão, bandolim, flauta e cavaquinho interpreta "Adoniran Barbosa", décimo espetáculo de seu repertório. Estréia "Travessia" (um espetáculo sobre a poesia para o exame da FUVEST) com a participação do Professor Geraldo Chacon, Axel Giudice de violão e Iuri Salvagnini com violão, sanfona e teclados, onde é apresentada aos estudantes a poesia de Camões, Manuel Bandeira e João Cabral de Melo Neto.




• Introdução

• Espetáculos:
  - Adultos
  - Infantis

• Imprensa

• Indicações

• Curriculum

• Requisitos

• Contato

• Links
© Copyright 2003-2012 Conecte Link - Todos os direitos reservados.